Há muito tempo estamos debatendo o futuro da área de Recursos Humanos. 

Eu acredito que a área ainda precisa estar mais preparada para acompanhar as mudanças que estão acontecendo no mundo, principalmente por conta da nova relação que as pessoas estão tendo com o trabalho e a busca de propósito e valor nas atividades profissionais.

Diferente do que aconteceu com nossos avós e nossos pais, os adultos de hoje têm outras prioridades, que vão além do salário, estabilidade, possibilidade de ascensão dentro da empresa e um 13º em dezembro.  Claro que dinheiro é importante, mas muito mais que isso, as pessoas hoje buscam significado em suas atividades. Elas querem fazer parte de algo maior, com relevância e que esteja alinhado aos valores que possuem.

E o RH, onde entra nisso?

Recentemente a gigante Airbnb mostrou estar alinhada às mudanças e publicou que está redirecionando suas funções tradicionais de RH para uma visão que conecte “O espaço de trabalho como uma experiência”, onde a ideia principal é a cultura centrada na experiência do colaborador.


Opa, mas peraí: não é óbvio que um RH deve estar centrado na experiência do colaborador? E quantos estão? Quantos estão mais preocupados com seus processos?

Um novo posicionamento do RH ainda é para poucos. Muitas empresas observam as discussões, aguardam para ver no que vai dar e poucas resolvem agir para sair na frente. Claro que estas que resolvem agir, estão em vantagem. Isto porque criam uma marca forte de RH, adequando o contexto ao negócio, promovendo vantagens competitivas para o desempenho das organizações. Além disto, fortalecem o branding de empregador, viram benchmark e elevam o RH para um nível mais alto dentro das empresas.

Mas infelizmente a maioria das empresas que vejo está presa em processos, enrolada com muitos papéis em cima da mesa, preocupada em como alcançar seus indicadores, desconsiderando a experiência das pessoas. Contudo, para quem deseja ser um competitivo e ter os melhores profissionais, essa postura retrógrada tem prazo de validade.

O RH e as organizações estão à beira de um grande momento em sua história juntos.

Na verdade, já está acontecendo. Um momento de mudanças!  Como um exemplo da mudança, o novo papel do chefe de Experiência de Colaboradores da Airbnb combina funções de RH tradicionais de recrutamento e desenvolvimento de talentos com marketing, serviços imobiliários, instalações, responsabilidade social e  comunicação. Novo? Sim! Faz sentido nos dias de hoje? Sim! Traz benefícios para a gestão? Sim! É possível adaptar em outras empresas? Sim!

Não há dúvida de que a transição do pensamento centrado em processos para Experiência vai ser um desafio para as empresas. Principalmente para os negócios mais tradicionais. Contudo, ela é necessária. E não se trata apenas de regalias, mas sim, de criação de experiências significativas no trabalho e de organizações significativas. 

Então, como seria para a sua empresa seguir o exemplo do Airbnb e criar uma função dedicada à experiência do colaborador que reúne múltiplas funções, que desempenha um papel importante na organização e todos eles alinhados a conduzir o seu negócio para frente com pessoas realmente engajadas e felizes?

Para pensar. E agir.

Eu desejo uma semana cheia de … Significado pra você!

Um Novo Foco para o RH.
Classificado como:        
LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com